Personagens

Exemplos de fidelidade a Jesus, coragem na fé não faltaram naquele tempo; Cipriano retratou alguns através de sua escrita; que eles nos inspirem a sermos melhores.

Mapalico1

Texto de Cipriano

O presente prélio nos deu uma prova.

A palavra plena do Espírito Santo saiu dos lábios de um mártir quando o bem-aventurado Mapalico, no meio de seus tormentos cruciantes disse ao procônsul:

-Verás amanhã um combate.

Esta promessa, que testemunha a virtude de sua fé, foi cumprida por Deus.

Um combate celeste, e o servo de Deus foi coroado no combate prometido.

É a prova do combate anunciada pelo bem-aventurado apóstolo Paulo:

“Nós devemos correr e obter a corôa da glória. "

Não sabeis que no percurso de um estádio todos correm, mas só um recebe as palmas?

Correi de maneira a obtê-las!

Eu travei o bom combate, percorri o caminho, conservei a fé.

Resta receber a corôa da justiça que o Senhor guardou para mim, a qual o justo juiz me dará naquele dia. Não somente a mim, mas a todos que amaram a sua vinda.


É este o combate

Predito pelos profetas,

Dado por Deus,

Sustentado por seus apóstolos,

Que Mapalico em seu nome

E em nome de seus irmãos,

Prometeu ao ao procônsul.


Não falhou na promessa

De sua voz de fé.

Lutou como havia prometido,

Recebeu as palmas merecidas.

Comentário do Organizador

Mapalico enfrenta a sua prova, deve atingir os seguintes objetivos: resignação, amor ao inimigo a expressar-se em preces pelas autoridades romanas; nenhuma mágoa; confiança em Deus.

A prova é difícil, o próprio Jesus afirmou: “muitos os chamados, poucos os escolhidos”

Mapalico venceu a sua prova; a cada um de nós, no dia-a-dia, no recinto doméstico, na via pública, no ambiente profissional, no grupo cristão, nos é oferecido um combate celeste; sermos provados é o meio; sermos aprovados é o objetivo; o tempo é hoje.

Se Deus nos oferece a prova é que temos condições de vencê-la.


Aurélio2

Texto de Cipriano

Aurélio:

Nosso irmão;

Adolescente ilustre

Já provado perante o Senhor;

Caro a Deus;

Novo em anos ;

Idoso na virtude e na fé;

Pequeno pela idade;

Grande pela honra.


Aurélio:

Duas vezes lutou;

Duas vezes confessou;

Duas vezes sua confissão foi gloriosa vitória.


Aurélio:

Vencido pelo curso dos fatos;

Exilado

Entregou-se a um forte combate;

Triunfou no prélio das paixões.


Aurélio:

Era pouco para ele o exílio;

Mereceu a inscrição no fórum;

Sua virtude brilhou mais;

Venceu magistrados e o procônsul;

Superou os tormentos após o exílio.


Aurélio:

Não sei que predicados destacar mais:

Feridas gloriosas;

Costumes discretos;

Virtude honrada e insigne;

Louvável e admirável pudor.


Aurélio:

Tão excelso pela dignidade;

Tão submisso pela humildade;

Foi posto a começar pelo dever de “leitor”3


Uma voz que confessou Deus

Em uma declaração gloriosa

Deve ressoar na leitura das escrituras divinas.


Como o júbilo é sempre apressado;

Como a alegria não suporta esperar ...


Aurélio:

Já mostrou o presságio da paz

Ao fazer sua primeira leitura

No momento do Senhor.


Comentário do Organizador

São comuns os preconceitos de idade: os velhos são irritadiços e conservadores; os adolescentes são irresponsáveis e alienados.

Para demonstrar a falsidade dos preconceitos eis aqui um retrato de Aurélio: adolescente, “cristão confesso”, corajoso e firme, humilde e digno.

Celerino4

Texto de Cipriano

Celerino:

Foi o primeiro a travar o combate

Da nossa provação.


Foi o porta estandarte.


No momento em que a perseguição acendeu-se

Alistou-se na luta,

Venceu por sua firmeza inexpugnável.


Abriu aos outros o caminho da vitória.

As feridas não lhe deram uma vitória momentânea,

O sofrimento durou,

Ligou-se a ele,

Foram 219 dias de prisão

Nos grilhões e a ferros.


Seu corpo estava preso,

Seu espírito estava livre.


Sua carne estava emagrecida

De fome e sede,

Sua alma tem vivido

De fé e virtude.


Deus o nutria de alimentos espirituais.


Estendido ao sol,

Oprimido pela dor,

Ele era mais forte

Que o sofrimento.


Por terra,

Ele era mais alto

Que os que estavam de pé.


Preso,

Ele era maior

Que os que o prenderam.


Julgado,

Ele era mais nobre

Que os que o julgaram.


Seus pés eram belos

Ao peso dos grilhões,

Pois a serpente oculta

Fora pisada e vencida.


Títulos de honra não são uma glória nova e desconhecida para o nosso querido Celerino.

Celerino marcha sobre os passos dos seus; sua avó Celerina obteve há algum tempo a corôa do martírio; seus tios pelo lado paterno, Laurêncio e Ignácio, combateram outrora nos campos seculares, posteriormente tornaram-se verdadeiros soldados de Deus. Por sua confissão gloriosa mereceram num glorioso martírio as palmas e a corôa do Senhor.

Que podia eu fazer, senão colocá-lo no púlpito?

Posto em evidência, pela elevação do estrado que ocupa, visível a todos, como convém a seus méritos, lerá as lições do Evangelho do Senhor, que ele segue corajosa e fielmente.

Que a mesma voz que confessou o Senhor, faça que outros O compreendam todos os dias, proclamando sua palavra.

Comentário do Organizador

Além das mais rudes provações terrestres, encontraremos paz e descanso no Senhor.

O Deus único está sempre presente; apendamos a ter nossa liberdade, nossa alegria e nosso alimento nesta presença.

A onipresença Divina é fonte de força e fé a nos sustentar nas nossas fraquezas.

Será sempre o exemplo que dará força às nossas palavras, que força terá nossa palavra se a nossa boca diz algo a favor do bem e nossas mãos a simbolizar nossos atos desdizem o que pregamos?

Celerino e Aurélio5

Texto de Cipriano

Era preciso aproximar Celerino de Aurélio, com quem se liga por uma honra divina e por todos os elos da virtude.

São parecidos, assemelhados; da mesma forma que sua glória é grande, sua humildade é profunda; Tanto a bem-aventurança divina os leva para a frente, quanto seu amor tranquilo, sua simplicidade os leva a apequenar-se.

Seus atos virtuosos, suas disposições interiores, são igualmente um exemplo para todos; São bons tanto para o combate quanto para a paz; Dignos de elogios, na luta, pela firmeza, na paz, pela modéstia.

Eis os servidores que o Senhor ama, os "cristãos confessos" que o glorificam. Sua vida e suas ações fazem proclamar sua glória a todos, sendo uma lição, um ensinamento para os outros.

O Cristo quis que ficassem longo tempo no "grupo cristão", retirando-os da morte por uma espécie de ressurreição, para que os irmãos não vendo nada mais sublime do ponto de vista da honra, nem nada mais submisso do ponto de vista da humildade, juntem-se a eles seguindo seus passos.

Comentário do Organizador

Os espíritos afins se buscam na multidão; unindo-se constituem as famílias espirituais; Exemplares na coragem e desassombro e também no amor tranquilo, simples e humildes.

Que lançando a sua luz de um ponto tão recuado no tempo, possam iluminar o nosso dia a dia, é a nossa prece.



Numídio6

Texto de Cipriano

Nós fomos advertidos e encarregados pela Divina Bondade de inscrever Numídio no número dos "cristãos experimentados" do "grupo cristão" de Cartago.

Numídio exortava uma falange gloriosa de mártires, que partiam antes dele, mortos a pedradas e queimados.

Enquanto sua fiel esposa era cremada, ou antes preservada com os outros, ele a fitava com doçura.

Ele mesmo foi meio queimado, apedrejado e deixado como morto.

Mais tarde quando sua filha procurava piedosamente o cadáver de seu pai, o encontrou respirando com dificuldade.

Retirado do meio de outras vitimas, reconduzido à rua, Numídio ficou com pesar à retaguarda dos companheiros que enviara ao céu antes de si.

Cumprindo o que nos foi indicado, recebemos com alegria o presente que Deus nos deu, esperando da misericórdia divina um maior número de benefícios desse tipo, para que devolvendo o vigor ao seu "grupo cristão", Deus faça florir honrosamente em nosso convívio, os doces e os humildes.

Comentário do Organizador

Todas as pessoas que nos cercam, na verdade, são presentes de Deus; amigos que nos incentivam no bem; inimigos que denunciam nossos erros afastando-nos do mal e nos temperando nas provações.

Porém, há alguns em que a misericórdia de Deus fica clara e explicita, criaturas que nos conduzem e que representam para nós a providência divina; Numídio foi afastado dos seres que mais amava ao vê-los partir para o plano espiritual; mas, ficando ainda para mais algumas provações, ficou, enriquecendo o grupo cristão de Cartago, com sua doçura e humildade.


1Trecho da Carta 10

2Trecho da carta 38

3O leitor tinha a tarefa de ler as escrituras para os outros membros do grupo cristão.

4Trecho da carta 39

5Trecho da carta 39

6Trecho da Carta 40

Comments